Projeto Consumidor Consciente

O objetivo do Projeto Consumidor Consciente é promover à educação financeira, visando a conscientização da necessidade de uma cultura de consumo economicamente mais equilibrado e socialmente mais justo.

O Projeto Consumidor Consciente oferece acesso gratuito à educação financeira às pessoas que são inscritas nas unidades dos Procon’s que participam deste programa educacional. Sua finalidade é orientar as pessoas para se livrarem das dívidas, incentivando a mudança de atitudes e o desenvolvimento de hábitos para uma vida mais equilibrada e sustentável.

Contempla uso gratuito de ferramentas informatizadas que auxiliam todo o processo de aprendizagem, facilitam o acesso das pessoas inscritas ao conteúdo da educação financeira, e organizam suas finanças, através do uso do aplicativo OFF – ORÇAMENTO FINANCEIRO FAMILIAR.

DESCRITIVO DO PROJETO CONSUMIDOR CONSCIENTE

Objetivo:

Fornecer acesso à educação financeira para que, as pessoas possam adquirir conhecimento sobre o uso consciente do dinheiro e do crédito e desenvolvam atitudes, costumes e hábitos que lhes proporcionem uma vida mais equilibrada e sustentável.

Justificativa:

A educação financeira desenvolve competências fundamentais para que as pessoas saibam como lidar com as questões econômicas, com segurança e consciência. Com o crescente aumento do endividamento das pessoas, o uso da educação financeira como forma de orientação, é imprescindível para o fortalecimento da cidadania.

Conteúdo:

Palestras, Ensino a distância, Pesquisa sócio econômica, uso gratuito do Software de planejamento e orçamento financeiro familiar – OFF.

Resultado:

A coleta de dados obtidas na aplicação deste projeto, servem para medir o nível do endividamento, e avaliar a evolução da educação financeira na população brasileira. Como resultado, estas informações servirão para nortear políticas públicas para o desenvolvimento do bem estar social.

METAS A SEREM ALCANÇADAS PELO PROJETO

I.   Desenvolver atitudes, costumes e hábitos que proporcionem uma vida mais equilibrada e sustentável;

II.   Melhorar a compreensão das pessoas sobre os produtos financeiros que lhes são ofertados;

III.   Gerar índices sócios econômicos que possam nortear políticas públicas de controle do endividamento;

IV.   Criar o hábito nas pessoas de realizarem o seu planejamento e orçamento financeiro pessoal e familiar.